terça-feira, 28 de outubro de 2014

Deu PT, e agora?

Dilma Rousseff venceu às eleições, mas encontrará sérias dificuldades pela frente, como congressistas conservadores, oposição feroz, enfraquecimento da figura do Lula, e um país dividido entre "norte" e "sul".

Por Alexandre Vastella

O país acordou triste, vermelho, de ressaca moral. Pois é, deu PT. Não obstante os escândalos de corrupção, o apadrinhamento estatal, a crise econômica, a desmoralização das forças armadas, e as tentativas de usurpar a democracia através de censura e de golpes de estado, a leviandade venceu a sensatez. Novamente, para a tristeza da nação, Dilma Rousseff foi eleita Presidente do Brasil com 51,63% dos votos, contra 48,36% de Aécio Neves. Será a próxima chefe do executivo nacional por mais quatro longos anos. Já dizia Nelson Rodrigues: "a unanimidade é burra". Paciência. Democracia tem dessas.

Não há motivos para intervenções militares e separatismos, e sim, para unir o Brasil. Apesar da derrota, não há (tantos) motivos para pânico.. Se Lula e Dilma, até então, governaram o país praticamente sem dificuldades, o cenário vai se modificar drasticamente á partir de 2015, freando as loucuras socialistas do PT. A eleição do congresso "mais conservador desde 1964"; a oposição mais forte e organizada desde 2002; o fim do inquebrável Lula messiânico; a fragmentação geográfica do eleitorado nacional; e à longo prazo, a ascensão da direita no Brasil, poderão representar sérios entraves ao totalitarismo petista, e enterrar de vez o projeto de poder do partido. Veja as pedras no sapato que Dilma terá que encarar até 2018:

Pedra no Sapato 1 - Congresso conservador

Para conseguir implantar os projetos bolivarianos do PT, Dilma Rousseff (poder executivo) precisará de apoio no poder legislativo. Entretanto, ao contrário do que ocorreu nos outros mandatos, inclusive em seu anterior, este apoio será bem mais difícil à partir de 2015. De acordo com dados do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), o Congresso Nacional em 2015 será o mais conservador desde 1964, com o aumento de militares, religiosos e ruralistas. Ainda que seja um "conservadorismo" disperso, manco e caricato. Somente Jair Bolsonaro (PP), Luiz Carlos Heinze (PP) e Marco Feliciano (PSC), figuras tradicionalmente odiadas pela esquerda, totalizaram mais de um milhão de votos! De acordo com levantamento do Jornal Folha de São Paulo, a bancada evangélica passará de 71 membros para 80; a ruralista, de 60 para 70; e a da segurança, passará a ter 20 parlamentares.

Se você acha que o PT é todo-poderoso, conheça um dos Congressos mais pedra-no-sapato da história!
Além disso, o Jornal O Globo aponta que a base governista encolheu: o PT perdeu 18 deputados, e o PMDB, 13, facilitando os futuros projetos da oposição. Esse enfraquecimento também foi observado no Senado Federal, que perdeu dois senadores governistas e ganhou um oposicionista - 53 à 27 (2010) contra 51 à 29 (2015) - consolidando nomes como Álvaro Dias (PR), Kátia Abreu (TO), Ronaldo Caiado (DEM), e José Serra (PSDB). Assim, o aumento dos setores oposicionistas no Congresso deverá ser eficaz ao barrar projetos que firam a liberdade individual como o Decreto 8.243, a Reforma Política e a Constituinte, meninas dos olhos do PT.

Pedra no Sapato 2 - Oposição fortalecida

Sufoco para os vermelhos. Esta foi a eleição mais acirrada desde a redemocratização do Brasil em 1985. Acostumada com a vitória fácil - como em 2002, em 2006, e em 2010 -  certamente a cúpula do PT não esperava o perrengue destas eleições. De fato, é a primeira vez que a aura messiânica do Lula [próximo item] não é traduzida em votos dóceis e garantidos para o partido. Levando em consideração a elevada taxa de abstenção (21%) e a porcentagem de votos válidos em Dilma (48%), conclui-se que a maior parte da população NÃO votou em Dilma Rousseff. O PT representa a minoria do povo brasileiro.

Como raras vezes na história da política nacional, o descontentamento tomou as ruas. Houve atos pró-Aécio espontâneos em dezenas de cidades do Brasil. Somente em São Paulo, foram quase 20.000 manifestantes distribuídos em dois dias de protesto (22 e 25/outubro), que clamaram contra a corrupção, contra o aparelhamento estatal, e contra as diretrizes do PT. Eu estava em ambos, e era fácil captar a onda de revolta e inconformismo no ar. Como disse José Serra, no carro de som: "tratou-se de um momento histórico", talvez a maior manifestação desde as Diretas Já (1985) ou o Movimento Estudantil Brasileiro (1992).

Ato Pró-Aécio em São Paulo (foto minha).Isso era INIMAGINÁVEL nas eleições anteriores.
A história prova que presidentes impopulares como Getúlio Vargas (era democrática), Jânio Quadros, João Goulart e Fernando Collor, embora eleitos, não conseguiram governar devido à falta de aprovação dos diferentes setores da sociedade, como vem acontecendo com Dilma Rousseff. E a maioria está contra o PT: o empresariado, o setor agrícola, a classe média, a maçonaria, as igrejas protestante e católica, e as forças armadas constituem setores amplamente insatisfeitos. Pouco antes das eleições, o Datafolha apontou que 26% dos brasileiros reprovavam o governo Dilma, e 39% o achavam regular, totalizando uma massa de 65% de descontentes. Na mesma pesquisa, a aprovação era de apenas 25%.

Pedra no Sapato 3 - Fim do "Lula messiânico"

O sucesso das reformas econômicas implementadas pela gestão tucana de Fernando Henrique Cardoso (1994-2002), marcadas pelo Plano Real - redução da inflação de 2.477,15% (1993) para 7,67% (2001) (IPCA/IBGE), pelas privatizações, e pelo controle de gastos através da Lei de Responsabilidade Fiscal, foram responsáveis pela retomada do crescimento econômico e pela melhoria da qualidade de vida da população. Já com a economia em ordem, bastaria o próximo governo ampliar os programas sociais iniciados por FHC no final de seu mandato, que visavam a redução da fome e a redistribuição de renda.

Não foram só as reformas tucanas. O favorável cenário econômico internacional, caracterizado pelo crescimento chinês e pela alta no preço das commodities também forjaram o Lula messiânico, o mito Lula, o Deus Lula, ou o salvador dos pobres. Virou até filme: Lula, o filho do Brasil. Um falso herói, que garantiu a vitória esmagadora do PT em 2006, e em 2010; neste último elegendo sua cria política. Dilma Rousseff.

Nas últimas eleições, não obstante o apoio de Lula, Tarso Genro perdeu às eleições para o governo do Rio Grande do Sul, e Alexandre Padilha sequer chegou ao segundo turno em São Paulo, surpreendendo grande parte da cúpula do PT. A própria Dilma Rousseff, mesmo usando capital político do ex-metalúrgico, venceu com apenas 51% dos votos válidos. O que aconteceu, Lula?

Messianismo dura pouco. Não existe milagre: economia fragilizada, aparelhamento estatal, elevada carga tributária, volta da inflação, baixo crescimento, e corrupção generalizada foram, pouco à pouco, desmistificando o "Lula salvador" e manchando a imagem do PT no imaginário popular. Pela primeira vez na era lulo-petista, o Sr. Luiz Ignácio está desmoralizado, e Dilma Rousseff deverá caminhar com suas próprias pernas. Nem síndico de prédio Lula consegue mais apoiar.

Pedra no Sapato 4 - Cisão nacional

Contraditoriamente, é a primeira vez na história deste país, que a luta-de-classes idealizada por Marx e vociferada pelo discurso de ódio do PT, pode se virar contra o próprio feiticeiro. A política do "nós contra eles" pode ser um tiro no pé. Explico.

Apesar dos resultados apertados nesta eleição, a cisão geográfica foi bastante nítida na preferência dos candidatos. A maioria dos eleitores dos estados das regiões sul, sudeste, e centro-oeste votaram em Aécio Neves; mas o 13 de Dilma Rousseff predominou no norte e no nordeste do país. Ora, mas por que isto pode ser uma pedra no sapato do PT?



Independentemente das razões que provocaram essa cisão - são muitas, e não pretendo analisá-las aqui - é evidente que houve uma clara polarização entre "sulistas" e "nortistas" nesta eleição. Os "nortistas", vitoriosos com Dilma, saíram tranquilos desta apuração. Porém, a população "sulista", que já estava cansada com o PT, saiu amargamente derrotada. Assim, democraticamente falando, Dilma NÃO está representando esta população, que na linguagem marxista é a "detentora dos meios de produção". Assim, ao contrário do que ocorreu nos dois primeiros mandatos de Lula, o "amiguinho dos banqueiros", Dilma poderá ser a inimiga política da elite econômica e da chamada "classe pensante" do país.

Pedra no Sapato 5 - Onda liberal-conservadora

A longo prazo, a pedra no sapato definitiva na vida do PT poderá ser a organização e a partidarização das diferentes correntes ideológicas agrupadas no espectro político da "direita", que segundo pesquisa divulgada pelo Datafolha no início deste ano, tem adesão de 45% da população brasileira. Como não existem partidos liberais, libertários e conservadores no Brasil, este segmento representa um grande órfão eleitoral, ficando refém da tradicional polarização PT x PSDB.


Este cenário está mudando com uma velocidade surpreendente. Quebrando um jejum de vários anos sem oposição liberal, o Partido Novo conseguiu unir mais de 500.000 assinaturas e registrar sua sigla no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), um projeto fundamental para o Brasil. Os libertários estão se unindo através do Liber, partido que defende o livre mercado e as liberdades individuais. Na ala conservadora, existe o Partido Militar Brasileiro (PMB), que segundo os criadores, é "a solução para endireitar o Brasil". Tudo isso está ocorrendo simultaneamente.

Nas eleições municipais de 2016, o já existente Partido Novo poderá lançar candidatos, inundando as prefeituras do país; e talvez em 2018, já tenha uma estrutura adequada para formar presidenciáveis. De uma forma ou de outra, a hegemonia da esquerda está sendo quebrada com o surgimento de futuras novas lideranças e coligações, e o principal prejudicado deverá ser o projeto de poder do PT.

--

Conclusão: chorar na Cantareira, uma ova! O gigante acordou!
Por Alexandre Vastella

Fontes:

http://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,congresso-eleito-e-o-mais-conservador-desde-1964-afirma-diap,1572528

http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/blog/eleicao-em-numeros/post/pt-e-pmdb-encolhem-mas-mantem-maiores-bancadas-no-congresso-psdb-cresce-na-camara.html

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/10/1529052-mais-conservadora-camara-deve-barrar-acoes-liberalizantes.shtml

http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/eleicoes-2014/noticia/2014/10/luis-carlos-heinze-e-o-campeao-de-votos-gaucho-para-o-congresso-4614760.html

http://eleicoes.uol.com.br/2014/noticias/2014/10/05/bolsonaro-rj-e-eleito-deputado-federal-no-rj-com-o-maior-numero-de-votos.htm

http://noticias.gospelmais.com.br/400-mil-votos-marco-feliciano-reeleito-deputado-federal-71685.html

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/saiba-quem-sao-os-27-senadores-eleitos

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2014/10/recompor-base-governista-no-congresso-sera-desafio-para-dilma.html

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ato-pro-aecio-reune-10-mil-em-sp-repulsa-a-roubalheira-mobiliza-manifestantes/

http://datafolha.folha.uol.com.br/opiniaopublica/2014/09/1509007-governo-dilma-e-aprovado-por-35-dos-brasileiros.shtml

http://divulga.tse.jus.br/oficial/index.html

http://www.idealsoftwares.com.br/indices/ipca_ibge.html

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.836.htm

http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/blog/eleicao-em-numeros/post/dilma-vence-em-15-estados-aecio-em-12-e-no-df.html


Comentários
3 Comentários

3 comentários :

  1. Muito bom.

    Pelo menos uma luz no fim do túnel.

    ResponderExcluir
  2. Pelo menos uma luz verdade tinha mesmo é que impedir Dilma de tomar posse é uma vergonha ter um presidente que quer tirar a liberdade do povo acabar com a propriedade privada , daqui a pouco vão querer que as pessoas dividam todo seu patrimonio com os vagabundos , desocupados e vão dizer que isto é democracia Fora PT .

    ResponderExcluir


  3. == Amansou muito e é uma MAGNÍFICA vista! ==

    Ou:
    «Carne com Chilli» [uma carne com pimenta: comida sucosa]

    UMA PIMENTINHA sempre é muito SABOROSA! Quando não é muito DELICIOSA!

    Imagina uma carne, bem SUCULENTA!, com uma PIMENTINHA inteira, vermelhinha! Vermelhinha!
    Que delícia. É agradável ao paladar e causa prazer. É GOSTOSO.

    Quem não gosta de uma pimentinha ou é MARICAS ou é AFRESCALHADO.

    Assim sendo, um sprayzinho de pimenta é sempre bom também…

    Veja:
    A pessoa nem consegue falar… Fica de boca aberta, meio babando saliva; meio desmaiada. Às vezes, a pessoa tem que ser carregada pelas pernas e braços.

    É excitante! A pessoa entra em TRANSE. É uma beleza mesmo. Relaxa e acalma. A sensação é bem melhor que chá ayahuasca. Nada como um sprayzinho de pimenta! De graça!, borrifado pela polícia.

    FIQUEI OLHANDO o Spray subindo no ar da cidade… Que fumacinha magnífica! Aquele gás embranquecido chega a escurecer a luz do sol.

    PETISTA adora MACONHA… Mas o spray de pimenta também é bom, é lógico. Apazigua e tranqüiliza. Todos petistas ficaram calminho, calminho!, quando a polícia aspergiu as bombinhas. O Centro acalmou loguinho, loguinho. Bendita polícia!

    Reparem que as pessoas já saem de VERMELHO não é à toa, em busca desse remédio maravilhoso, nas ruas. Tudo ao ar-livre.

    Vermelho é a cor da pimenta.

    Os petistas, eles já vão alargando as narinas, como porcos. Vão cada vez mais se aproximando, devagarinho, do esquadrão militar, — fissurados para dar uma cheiradinha nas bombinhas de gás pimenta. É aquela ânsia.

    Spray de pimenta acalma, amansa, relaxa. Uma beleza, mesmo. É bem melhor que o chazinho da VOVÓ.
    Amansou muito o Centro daqui.

    É UMA MAGNÍFICA vista ver o spray de pimenta subindo aos ares, em uma SUBLIME fumaça branca, toda vez que vou ao centro. Acalma tanto! Logo após vem aquela calmaria, e o trânsito flui. É uma beleza.

    Que momento gostoso, delicioso e saboroso.

    ResponderExcluir

Não seja um esquerdista chato, comente civilizadamente!

Mais dúvidas? Pergunte-me em: http://ask.fm/diariodeumexcomunista