sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Exclusivo! Análise da Apostila de Sociologia do Estado de São Paulo.

Pare de acreditar no governo e descubra por que a apostila de sociologia da rede estadual de São Paulo é um material puramente ideológico que está lobotomizando seus filhos. Confira a análise detalhada feita por um professor!

Leitor, conhece a receita para fazer uma apostila de sociologia eficiente? Primeiro coloque feminismo, militância gay, sindicalismo, discriminação racial, marxismo e MST no liquidificador. Depois junte um pouco de marxismo cultural - para dar a liga - e bata tudo no liquidificador. No final, adicione uma pitada de "legitimidade" científica e mande entregar em todas as escolas públicas.

Assim é feita a Apostila de Sociologia da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo - que me emprega como professor. Esta possui um programa educacional chamado São Paulo faz Escola. Aplicado em todas as escolas da rede desde 2008, o sistema tem um objetivo  aparentemente nobre: enfrentar o baixo desempenho escolar subsidiar o trabalho de professores, gestores e alunos (Catanzaro, 2012). Na prática, é uma cartilha que norteia o que os alunos devem aprender. Legal né? Só que não.

Programa São Paulo Faz Escola: Apesar de facilitar a vida de professores e alunos, estimula a doutrinação ideológica nas escolas.
De fato, organizar o conhecimento em apostilas é bom para todos: ajuda o trabalho do professor e dinamiza a compreensão do aluno. Além disso, o sistema possibilita que haja uma continuidade lógica no conhecimento transmitido, facilitando o aprendizado. Como educador, tenho que fazer justiça e reconhecer que o modelo facilita muito nossa rotina.

Mas nem tudo são flores. Enlatar o conhecimento em cartilhas tem seu lado sombrio: acelera, e muito, a doutrinação marxista/gramscista nas escolas. Não estou falando isso porque sou um "tiozinho reacionário sem noção", mas sim porque sou professor de ensino público e sinto este problema na minha própria pele. Pois é.

ANÁLISE DO MATERIAL ESCOLAR - SOCIOLOGIA 

Para trazer um pouco desta realidade para vocês - restrita somente aos profissionais da educação do estado de São Paulo, o Diário de um ex Comunista quebrou um jejum de postagens elaborando um longo texto sobre a doutrinação ideológica nas escolas.

Dentre as diversas "apostilas do aluno", certamente nenhuma é tão descaradamente revolucionária quanto a do primeiro volume de Sociologia do terceiro ano do Ensino Médio, elaborada para ser ministrada no primeiro e segundo bimestre. Neste diminuto pedaço de papel, há esquerdices de todo tipo: incentivo indireto a homossexualidade, ideologia de gênero, populismo sindical, terrorismo agrário e uma resma panfletagens correlatas.

Justamente pela gravidade de seu azedume ideológico, a apostila foi a escolhida para ilustrar a lobotimização política no ensino básico - assunto este, já abordado por Pascal Berbardin em Maquiavel Pedagogo.

Vamos lá. No Estado de São Paulo, há dois tipos de apostila: o "Caderno do Professor" e o "Caderno do Aluno". É importante compreender esta peculiaridade, pois a análise abaixo corresponde aos dois materiais. Averigue bem a seguinte capa:

Caderno do Professor e Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I

Reparou? A cara é amigável, mas o conteúdo é bombástico. Não é preciso sequer estudar a apostila para captar as verdadeiras intenções curriculares da disciplina. Logo no índice já é possível ter uma ideia do tamanho da bomba:

Caderno do Professor - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 4

Observa-se que as situações de aprendizagem são totalmente voltadas para o marxismo cultural, como manda o figurino revolucionário. Para os alunos inocentes, as militâncias são sempre abordadas como "movimentos sociais" em "busca da cidadania", sendo jamais revelados seus pontos negativos, e tampouco as suas respectivas estratégias de dominação cultural. Se tiverem estômago, "apreciem" a introdução da Situação de Aprendizagem 6:

Caderno do Aluno- 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 58

Para os autores do São Paulo faz Escola, os movimentos progressistas - ou as milícias do pensamento, são reconhecidas como ação de "diversos grupos sociais em defesa de seus direitos", cuja natureza é fruto da "luta que brasileiros e brasileiras vêm levantando desde a Proclamação da República". Ao enxergar a sociedade somente através da luta de classes, a apostila ignora as individualidades humanas, evidenciando somente uma visão parcial e panfletária da realidade, como no caso dos sindicatos:

Caderno do Professor - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 52

Durante toda a Situação de Aprendizagem 6,  os sindicatos são vistos como heróis salvadores que tiraram os trabalhadores da miséria. Não há sequer menções sobre os problemas da interferência do governo na economia e muito menos sobre os males da legislação trabalhista. Segundo a apostila, os trabalhadores só têm benefícios porque o Estado se interferiu no capitalismo. Viva o Estado!

A proselitismo ideológico continua em defesa do agroterrorismo:

Caderno do Professor - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Páginas 62 e 102

Para uma boa conduta em sala de aula, o MST deve ser mencionado "trabalhando os esteriótipos e preconceitos", sem "julgá-lo segundo interesses determinados". Não é necessário dizer que o agronegócio e o capitalismo entram no grupo destes "interesses determinados", quiçá a Rede Globo e a revista Veja também.

De acordo com a cartilha, a política fundiária brasileira seria responsável pela "expulsão dos trabalhadores rurais", gerando pobreza e caos familiar. No material, os benefícios do agronegócio são ignorados, bem como a revolução verde e a balança comercial brasileira. Para essa gente, o MST é "bonzinho" e o latifúndio é "maldoso".

Prosseguindo a doutrinação ideológica, a Situação de Aprendizagem 7 discorre sobre o "Movimento Feminista", na qual o aluno poderá aprender "que a condição feminina e a masculina são historicamente construídas". Conforme evidenciado na imagem abaixo:

Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 74

Evidentemente,não poderia faltar o chavão clássico das feministas:  ser "homem ou mulher é apenas uma questão meramente histórica! A apostila aposta na ideologia de gênero, provavelmente incutindo na mentalidade dos adolescentes que essa coisinha chata chamada biologia é algo reacionário demais para se levar a sério. Homens e mulheres? Bobagem! Somos todos formigas hermafroditas!

Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 82

Como se não bastasse, na página XX, a apostila de sociologia tenta atrair o aluno para a causa feminista:

Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 75

Devido ao alto grau de escatologia, somente este pequeno trecho de "Leitura e análise de texto" renderia uma longa postagem refutatória. Segundo a apostila, se você é contra a "violência contra a mulher", você é automaticamente feminista! Quem poderia ser a favor da agressão, não é mesmo?
"Seria como dizer: Hitler construiu Fuscas! Se você gosta de Fusca, você é nazista!" Caro leitor, isto chama-se falácia, e das bravas, viu?

Inclusive, esta questão me chamou muito a atenção:

Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 77

O que seria dissertar sobre o "preconceito no Brasil em relação ao feminismo"? Seria afirmar que nem todas as femininas são peludas e/ou feias? Seria legitimar um movimento que faz passeatas enfiando símbolos católicos no ânus? [escrevi sobre feminismo aqui] Ou, guardadas às devidas proporções, seria como dizer que "nem todo bandido é maldoso"? 


Calma! Ainda pode piorar! A Situação de Aprendizagem 9 chama-se "Novos Movimentos Sociais: Negro, LGBT, e Ambientalista". Só o título já é de causar certos calafrios, mas vamos ao que se segue:

Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 88

Segundo a introdução do capítulo, cada "grupo social" é "portador de necessidades e interesses legítimos", incluindo o sistema de cotas raciais, que seria um "direito". Naturalmente, não preciso dizer que é um absurdo dos grandes [já escrevi sobre isso aqui]. Uma das questões, inclusive, leva o aluno à associar desigualdade social com desigualdade racial:

Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 91

De acordo com o gabarito, a resposta correta para a questão é:

Caderno do Professor - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 103

Fica subentendido que a pobreza afeta somente a população negra, ou "afrodescendente", sendo ignoradas as mazelas sociais dos brancos e pardos. É sempre bom ressaltar que como diria a sábia Ayn Rand, o indivíduo é a menor minoria que existe [inclusive, já escrevi sobre isso [aqui]. Faltou, e muito, dizer que o livre mercado é a melhor forma de equalizar as diferenças raciais; e que grande parte da "discriminação social do negro" existe justamente por causa da mentalidade revolucionária-paranóica, que enxerga luta de classes em tudo.

Outra minoria bastante abordada é a LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, cujas reivindicações incluem a "criminalização da homofobia". A lição de casa abaixo, acompanhada do gabarito, resume essa questão:

Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 95
Caderno do Professor - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 104

Em conformidade com a apostila, a  "punição para todas as formas de rejeição ou expressão de preconceito contra homossexuais" seria apenas um "reconhecimento jurídico" da condição de um comportamento sexual. Não gostou? Manda prender!

É importante ressaltar que nem todos são obrigados a aprovar a conduta homossexual, incluindo padres católicos ou pastores evangélicos. Se o direito à sexualidade deve ser exercido, o direito à liberdade religiosa também, oras! [escrevi sobre isso aqui]. Entende-se que por mais bem intencionados que sejam os militantes, criminalizar uma simples opinião abre severas brechas para a censura no país.

Para fechar o bimestre, e também para encerrar esta postagem, que tal convidar os alunos a escrever uma letra de música "inspirada nas reivindicações de um dos movimentos estudados (negro, LGBT ou ambientalista)"? 

Caderno do Aluno - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - Página 101

Boa lição de casa! =)
Por Diário de um ex Comunista

Fontes:
Caderno do Aluno - Sociologia 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - 2014
Caderno do Professor - Sociologia - 3ª Série do Ensino Médio - Volume I - 2014
Maquiavel Pedagogo - Pascal Bernardin (recomendado!)
www.teses.usp.br/teses/.../FABIANA_OLIVIERI_CATANZARO.pdf
 
Comentários
8 Comentários

8 comentários :

  1. Excelente postagem meu amigo e acredito que vivemos no mesmo impasse pois também, assim como você, serei professor de sociologia e já prevejo que serei forçado pelo Estado a tratar com esses temas tão "importantes" para os alunos do Ensino Médio. Nesse sentido meu caro, pergunto a ti: Como trabalhar em sala de aula de uma forma menos viesada em se tratando de esquerdismos e afins? Devo dar mais importância a construção de Weber e sua sociologia da Ação Social? Peço a sua ajuda meu caro, de forma que sua experiência com licenciatura e uma Sociologia neutra sejam fontes inspiradoras para minhas futuras ações em sala de aula. Forte abraço. Professores de Sociologia não esquerdistas, uni-vos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente, obrigado pelo interesse! Qualquer coisa que ensino em sala de aula, desde às mais complexas às mais triviais, passo os "dois lados da moeda". Doutrinação esquerdista é o fim da picada, mas não podemos aproveitar nossa posição para fazer "doutrinação direitista", se é que existe esse termo. A neutralidade é sempre um ideal a ser perseguido.

      Embora goste muito de sociologia, não tenho licenciatura na área (no Estado de São Paulo, quando falta um professor de sociologia, outro professor de humanas pode assumir as aulas). Mesmo assim, vou responder:

      A ação social é trabalhada no primeiro ano do ensino médio, logo quando o aluno entra em contato com a sociologia. Mesmo sem citá-lo, é legal dar-lhes a noção de que estão inseridos em sociedade, e que suas ações (racionais, emocionais, afetivas ou baseada em valores), ajudam a moldar o seu entorno, e também a sociedade. É bastante complexo, mas eles normalmente entendem bem. Abraço!

      Excluir
    2. Considero a sociologia uma matéria muito importante, precisaria tirar dos conteúdos dos cadernos, livros e projetos essa doutrinação maléfica que aliena e confunde os alunos.

      Excluir
  2. Senhores do DIÁRIO DE UM EX-COMUNISTA, quero avisá-los que existe uma Portaria da ARTESP Número 11 de 6 de Dezembro de 2002, que indeterminadamente proíbe o tráfego de veículos pesados (exceto ambulâncias e outras viaturas oficiais) na Pista Descendente da Rodovia dos Imigrantes (do seu Quilômetro 41 ao seu 62): Ela está cá:

    "Portaria ARTESP DGR/DPL - 11 de 6 de Dezembro de 2002

    Regulamenta o tráfego de veículos de carga (caminhões, reboques e semi-reboques), veículos mistos e veículos de transporte de passageiros (microônibus e ônibus) na Pista Descendente da Rodovia dos Imigrantes (SP-160).

    O Diretor Geral da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP), com as prerrogativas que lhe são conferidas pela Lei Complementar Número 914, de 14 de Janeiro de 2002, Artigo Quarto, Incisos VI, XXVIII e XXXVIII, combinado com o Artigo Terceiro, Incisos V, XXVII e XXXVI, do Decreto Número 46.708, de 22 de Abril de 2002.

    E, considerando, o preceituado pelo Parágrafo do Segundo Inciso II do Artigo Primeiro e pelo Artigo 21 da Lei 9.503 de 23 de Setembro de 1997 que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

    Considerando, a Resolução Número 777 de 17 de Dezembro de 1993 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito), alterada pela Resolução 808 de 14 de Novembro de 1995.

    Considerando, a idade de deterioração da frota circulante e seu nível médio.

    Considerando ainda, não estar implementada a inspeção veicular, prevista no Artigo 104 do CTB.

    Considerando, o estudo sobre o "efeito fadiga", que ocorre em veículos equipados com freios a tambor, desenvolvido pela ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) e suas afiliadas, uma vez que esse é o sistema de freio que equipa os veículos em questão e, tendo em vista que os estudos concluíram, que a circulação deles pela Pista Descendente da SP-160, se torna temerária em virtude de existir significativo risco de perda de eficiência dos freios em virtude de seu aquecimento.

    E, por fim, considerando que o trecho de serra da Pista Descendente dela se apresenta com extensão de 11 km, com rampa média de 6% e sinuosidade média baixa, resolve:

    Artigo Primeiro - Enquanto não se dispuser das avaliações práticas, resultantes de ensaios a serem realizados no trecho de serra da pista descendente, para verificação do desempenho do sistema de freios em veículos representativos da frota nacional, fica proibida a circulação de veículos de carga, compreendendo-se, caminhões, reboques e semi-reboques, veículos mistos e veículos de transporte coletivo de passageiros (microônibus e ônibus), na Pista Descendente da Rodovia dos Imigrantes (SP-160), entre os seus Quilômetros 41 e 62.

    Parágrafo Primeiro – Esta proibição aplica-se também à pista ascendente, quando estiver, eventualmente, sendo utilizada como pista descendente.

    Artigo Segundo - Cabe à concessionária, com aprovação da Diretoria de Operações da ARTESP, a implantação de sinalização que viabilize a presente regulamentação.

    Artigo Terceiro - Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação."

    Também os quero avisar que os veículos pesados que a infringirem serão multados pesadamente e podem ter seus veículos apreendidos ou suas CNHs suspensas.

    Agradeço-lhes de todo o meu coração! Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo, não entendi a relação da Portaria com a postagem, mas tudo bem... É por isso que descer a serra pela Imigrantes (de carro) é bem melhor! Abraço

      Excluir
  3. PARABÉNS POR EXPRESSAR A REALIDADE NUM MUNDO QUE AO INVÉS DE PREZAR PELA VERDADEIRA LIBERDADE, ACABA POR CONSTRUIR UMA CADEIA DE VÍCIOS EM NOVAS FORMAS DE PRISÃO E ESCRAVATURA DE SEUS MALÉFICOS PRAZERES.

    ResponderExcluir
  4. E grande parte dos paulistas acreditando que PSDB é de direita...tsc tsc

    ResponderExcluir
  5. E grande parte dos paulistas acreditando que PSDB é de direita...tsc tsc

    ResponderExcluir

Não seja um esquerdista chato, comente civilizadamente!

Mais dúvidas? Pergunte-me em: http://ask.fm/diariodeumexcomunista