sábado, 1 de março de 2014

A inveja da beleza: "Sou feio, mas beleza é relativa, né?"

A inveja da beleza é um dos inúmeros sentimentos ocultos que embasam a retórica esquerdista, enraizada em um feminismo fraco e vitimista. Já que eu não sou bonito, vou culpar o machismo por isso! Que tal?

Para o radicalismo feminista, a beleza seria um "padrão imposto pela sociedade", cuja libertação se daria através da "mudança de paradigmas" e da "aceitação do outro". Respeitando a cartilha politicamente correta, para a militância esquerdista, não existiria nem feio e nem belo. Para a alegria dos fracos, tudo seria uma questão de ponto de vista. Que romântico! Pra que emagrecer né?


Inimiga da balança e do bom senso, a militância feminista parece invejar ardilosamente as belas curvas de um corpo feminino bem cuidado. Desprovidas de beleza exterior, suas partidárias afundam-se numa redoma de conforto e acomodação. E isso também vale para os homens feministas que "odeiam academia". É muito mais fácil abraçar uma teoria enlatada do que lutar por objetivos esportivos e/ou estéticos.

Antes que vocês acusem o escritor deste blog de "preconceituoso", saibam que pelas minhas características estéticas, eu que vos falo deveria ser o primeiro a me fazer de vítima! Sou gordo, feio e meus braços são caquéticos. Mas ao invés de chorar pelos cantos igual um fracassado, estou lutando para superar minhas adversidades. E está dando certo.

"Eu sou linda, viu!? Você que é um machistinha preconceituoso!"

"A beleza é relativa, você que é preconceituoso. Seu machista!", bradam os(as) vitimistas. Sinceramente, não sei de qual esgoto tiraram essa falácia totalmente desprovida de embasamento científico. Aceite isso: a beleza é um conceito absoluto e ponto final.

Allan e Barbara Pease em "Por que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor" evidenciam brilhantemente a relação entre beleza e proporção na atração sexual. Segundo os autores, as mulheres com uma relação de 70 por cento entre cintura e quadril são mais férteis e saudáveis e atraentes. Já para os homens, o ideal é corpo em forma de V- ombros largos, cintura estreita e braços fortes, que eram os pré-requisitos para um bom caçador.

O famoso quadro Monalisa de Leonardo da Vinci segue rigorosamente a proporção áurea, isto é, a fórmula matemática da beleza. Cadê a relatividade aí!?

Segundo reportagem da Superinteressante, "o zoólogo inglês John Swaldel, da Universidade de Bristol, provou que as fêmeas de alguns pássaros preferem acasalar com os machos que possuem padrões acentuadamente simétricos". E ainda: "quanto mais próxima uma face ou uma forma estiver da ordenação matemática, mais bela ela será aos olhos de um observador. De um lado, é como se a nossa percepção da beleza estivesse ligada à nossa necessidade de ordenar o mundo", conclui a revista.

Assim, a valorização da "beleza interior" a muleta argumentativa para a vitimização dos feios. Trata-se de uma fuga da realidade: ao invés de enfrentar suas intempéries estéticas, o indivíduo usa a ideologia feminista para se aconchegar  na zona de conforto, amputando os seus próprios problemas. Por mais alternativos que pareçam, ninguém gosta de estar acima do peso, de ter espinhas, ou de não ter dinheiro para comprar roupas.

A montagem ficou boa, mas duvido que a "gordinha" não tenha inveja da "saradona"!

Nos dias de hoje, independentemente das condições, "estar bem consigo mesmo" é um mantra sagrado: entre obesidade, problemas de pele, e óculos medonhos de hipster, o que vale de verdade é "ser feliz". É verdade que nem sempre beleza está associada a saúde, mas se houvesse um aplicativo de iPhone que transformasse gordos em Arnolds Schwarzeneggers instantaneamente, todos instalariam!

Não entre nessa redoma vitimista. Cuide de tudo que está ao seu alcance! Eu disse ao seu ALCANCE! Se é gordo, emagreça. Se usa óculos, compre lentes. Se tem espinhas, vá se tratar. Se não tem dinheiro, vá trabalhar. Se você nasceu com algum defeito ou deficiência, cuja resolução NÃO ESTÁ AO SEU ALCANCE, não há nada o que fazer. Neste caso, aprenda a lidar com as adversidades e torne a sua vida melhor! 

Não concorda? Então siga o exemplo deste homem sensível e fofo preocupado com os problemas sociais:



Fontes "do bem":

http://mulherescontraofeminismo.wordpress.com/2012/07/25/feministas-pregam-o-estuprotraicao-e-violencia-contra-nosmulheres-antifeminismo/

http://www.mat.uel.br/geometrica/php/pdf/dg_prop_%C3%A1urea.pdf

http://super.abril.com.br/ciencia/beleza-pura-441872.shtml

Fontes "do mal":

http://revistaforum.com.br/questaodegenero/tag/educacao-sexual/

http://marchamulheres.wordpress.com/2013/10/01/eu-nao-sou-miss-nem-aviao-minha-beleza-nao-tem-padrao/

http://feminismosemdemagogia.wordpress.com/2013/05/14/traicao-parte-1-a-moral-burguesa/

http://naosouexposicao.wordpress.com/2014/01/17/qual-e-a-desculpa/
Comentários
11 Comentários

11 comentários :

  1. Oi, td bom? Então eu queria saber a sua opinião sobre o Racionais Mc's.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo certo!

      Sem querer ser esquerdista-caviar, acho interessante a ideia de levar para as letras a visão da periferia. Musicalmente, acho legal a influência do funk setentista.

      Mas uma coisa que me incomoda MUITO é o relativismo moral dessas letras. Pelo menos o Sobrevivendo no Inferno - que é o único disco que conheço, o vitimismo está presente em todo o lugar. Algo do tipo: "O crime é ruim, mas eu fui obrigado a entrar nessa vida".

      Já tratei disso aqui: http://diariodeumexcomunista.blogspot.com.br/2013/10/coitadinho-do-bandido.html

      O problema do rap não é o estilo em si, mas a apologia ao crime.

      Excluir
  2. Sr. Cinza "Novamente" :^]8 de março de 2014 02:41

    Não sei se você recebeu minha pergunta no Ask, eu estava usado celular e acho que não foi enviada :( Era mais ou menos o que esta escrito abaixo:

    Antes dos acontecimentos de junho do ano pesado eu era um esquerdinha muito burro, apanhava muito nos debates, sempre reclamava do estado e como solução pedia mais estado, não conseguia perceber as incoerências que cometia nos meus discursos, porém isso começou a mudar depois daquele momento histórico para o Brasil, encontrei um colunista muito bom e me identifiquei com ele, a sua forma de escrita era dinâmica, não pensava com palavras grandiosas, ele ia direto ao ponto, não deixava que minha mente esquerdista refutar, sempre havia farta argumentação, eu não conseguia refutar nada, o nome deste colunista é Rodrigo Constantino, aquele da Veja.
    Depois dele fui conhecendo o mundo da direita, fiquei encantado, aqui não existe pensamentos falhos, os direitas argumentam e dificilmente vão usar a mentira para elucidar suas idéias, isso é incrível!
    Posso também me considerar um ex- esquerdista, pois hoje defendo valores totalmente opostos que antigamente, prezo poder mais liberdade e menos estado, algo que antes era visto como bom hoje enxergo de outra forma.
    Agora sim,a pergunta... como aconteceu com você? Faz tempo ou você já é um ex-comunistaa mais tempo, além de junho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente, parabéns pela mudança!! O Rodrigo Constantino é realmente muito bom, eu acompanho o blog dele há mais de um ano, quando ainda era no blogspot. Seus livros 'Privatize Já' e 'Esquerda Caviar' são leituras EXTREMAMENTE RECOMENDADAS. Quando você puder, leia os dois!

      Acho bacana que você mudou em tão pouco tempo, pois eu demorei bastante pra sair do limbo. Comecei a me interessar por política há uns oito anos atrás, quando me tornei um esquerdista maluco.

      Há uns três ou quatro anos atrás comecei a ler - escondido, é claro (!), blogs, sites e livros "de direita", só para "conhecer o outro lado". Pensava: "É melhor ler antes de criticar". Só que esse "outro lado" TINHA MUITO MAIS RAZÃO. Minha mente clareou! Como eu estava sendo burro antes!

      Deste então, estou tendo overdose de literatura liberal e conservadora.

      Por sorte do destino, resolvi me informar melhor. É uma pena que 90% dos estudantes de humanas não procuram "se informar melhor", para "conhecer o outro lado"..

      Em junho eu estava criando este blog hahaha

      Excluir
  3. Idéia utópica, não consegui postar no Ask, muito grande...

    Pois então, você acha que seria justo separar uma ilha do planeta e nela colocar todos aqueles esquerdinhas sujos, que querem o comunismo na marra, não se importando com os outros e com as consequências de seus atos numa sociedade "democrática" como a nossa.
    Pegar esse pessoal e jogar na tal ilha da fantasia sem nada produzido pelo capitalismo, nem roupas nem alimentos industrializados, nem ferramentas, tipo facas, enxadas, foice e martelo, absolutamente nada, deixar esse pessoal nu mesmo e lá eles deveriam começar do zerro, sem meritocracia e leis...
    Você acha que eles iriam sobreviver?

    Obrigado por responder a pergunta anterior :^)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar do comunismo ser um lixo, as pessoas têm a liberdade de pensamento e de expressão, mesmo que seja contra as nossas convicções. É o preço que se paga pela democracia.

      Acho que devemos fazer um trabalho cultural, conscientizando esses "esquerdinhas sujos" e os trazendo para o lado de cá!

      Mas que é contraproducente é! O cara é de esquerda mas quer viver em todo o conforto da tecnologia capitalista!

      Excluir
  4. Cara, concordo com quase tudo do seu blog, mas tenho q comentar...
    SIM, BELEZA É RELATIVO!
    Pq é uma questão de gosto, as pessoas são diferentes... a beleza existe na diversidade, no respeito...
    Existem pessoas com problemas genético que nunca serão magras... existem pessoas que nascem com o nariz mto grande, e é justo elas serem condenadas a um padrão, ou é?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão. Não é justo essas pessoas serem condenadas a um padrão. E é por isso que no final do texto escrevi:

      "Não entre nessa redoma vitimista. Cuide de tudo que está ao seu alcance! Eu disse ao seu ALCANCE! Se é gordo, emagreça. Se usa óculos, compre lentes. Se tem espinhas, vá se tratar. Se não tem dinheiro, vá trabalhar. Se você nasceu com algum defeito ou deficiência, cuja resolução NÃO ESTÁ AO SEU ALCANCE, não há nada o que fazer. Neste caso, aprenda a lidar com as adversidades e torne a sua vida melhor!"

      Destaquei a palavra "ALCANCE" porque um cara com problemas genéticos NÃO pode ficar triste por algo que ele não pode resolver.

      Mas o padrão de beleza existe sim. Não há como negar.

      Excluir
    2. De fato, não há como negar, mas você não acha que devemos lutar para desconstruir um determinado padrão, cujo vc passou desta linha (ex: tatto, cabelo vermelhos, coloridos... etc... etc..) ficará a margem da sociedade?

      Não vou ficar gritando "fascista" mas este tipo de ideia era promovida por Hitler,p/ ter um povo "esteticamente limpo, bonito"...

      Excluir
    3. Respeito seu argumento, e até acho que existe lógica nele. Seria muito bom se esses padrões fossem desconstruídos, todos viveriam muito mais felizes. Isso é verdade.

      Mas esses "padrões" vêm da própria natureza biológica humana. Homens são INCONSCIENTE e BIOLOGICAMENTE atraídos por determinadas características femininas, e o inverso também.

      Com a "desconstrução do padrão de beleza", seria como se "socialmente" passássemos a desejar sexualmente parâmetros novos, do tipo: "a partir de agora você gostará de X, e não de Y". É complicado isso....

      Excluir
  5. Nunca li tanta merda kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Não seja um esquerdista chato, comente civilizadamente!

Mais dúvidas? Pergunte-me em: http://ask.fm/diariodeumexcomunista