sábado, 18 de janeiro de 2014

Os números afirmam: Liberdade traz desenvolvimento

Estatísticas indigestas aos esquerdistas provam que o desenvolvimento social é maior em países economicamente livres. Liberdade não é vilã. É a mocinha da história!

"Neoliberalismo" é um dos piores palavrões da língua portuguesa. A "onda neoliberal" como dizem os esquerdistas, seria a grande vilã causadora de pobreza, fome, e caos ao redor do planeta. Defender o livre mercado - para esta gente, seria como legitimar o imperialismo e a opressão das nações mais ricas contra as mais pobres. Portanto, um ato de crueldade. Afinal, liberdade de mais faz mal, não é?

Longe de achismos e devaneios intelectuais, afirmo com convicção: liberdade econômica está estritamente ligada à desenvolvimento social. Não é conversa fiada, é estatística. Vamos por partes:

O Índice de Liberdade Econômica (Index of Economic Freedom) publicado pela norte-americana Heritage Foundation é um estudo detalhado que ranqueia os países do mundo de acordo com seu grau de liberdade, obtido através de fatores como abertura de mercado, tamanho do governo, eficiência regulatória e estado de direito. 

No mapa abaixo, que apresenta os resultados de 2014, os países são categorizados em: livres (verde-escuro); quase livres (verde-claro); moderadamente livres (amarelo); principalmente não-livres  (laranja) e não-livres (vermelho). Veja com os próprios olhos:

Índice de Liberdade Econômica (2014)

Calma! Não vou comentar ainda! Senão seria "achismo reaça" não é mesmo? Tenha paciência! Ainda falta o recheio do bolo...Vamos lá:

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), medido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) é um indicador que "mede o progresso de uma nação a partir de três dimensões: renda, saúde e educação", cujo "foco é transferido do crescimento econômico, ou da renda, para o ser humano". Ou seja, é um valor que de certa forma mede a qualidade de vida da população de um país. Vejamos o mapa do IDH mundial para 2013:

Índice de Desenvolvimento Humano (2013)

Eureka! Vejam só! Surpreendentemente ou não, as nações com IDH mais elevado são justamente as que gozam de maior liberdade econômica! Compare os dois mapas! Não por acaso, tanto os países da Europa Ocidental e da América do Norte são livres e e prósperos, assim como Austrália e Japão. Já em direção diametralmente oposta, a África aparece com os piores valores em ambos os indicadores. Ora, não é novidade para ninguém que a região subsaariana é repleta de ditaduras miseráveis. 

Dadas as diferenças, o Leste Europeu, o Oriente Médio, e Ásia ex-Soviética aparecem em posições intermediárias nos dois indicadores, assim como a nossa querida América do Sul e nosso querido Brasil. Repare nos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, e China), que apresentam valores "mais ou menos" no IDH e valores "mais ou menos" em liberdade econômica. Coincidência demais, né?

Caro leitor, após esses dados estarrecedores não é necessário muita lenga-lenga para esta conclusão. Os números falam por si só e expressam a inevitável correlação entre liberdade e desenvolvimento. E aí? Vai continuar achando que o liberalismo é o vilão da história?

Fontes:

OBS: Recomendo fortemente a leitura do estudo da Heritage. Tem vários dados e informações de graça e de mão beijada:
http://www.heritage.org/index/

E... o mapa interativo de IDH:
http://www.targetmap.com/viewer.aspx?reportId=22315

http://www.pnud.org.br/IDH/DH.aspx
Comentários
5 Comentários

5 comentários :

  1. O Comunismo Soviético deu mau resultado porque TUDO era da responsabilidade do Estado. Mas também não pode ser tudo privado. Coisas como escolas, saúde, correios, electricidade, Água, Gás, Petróleo, Transportes e até algumas indústrias básicas, como Alimentação (não todas) deviam estar nas mãos do Estado. Pela simples razão de que, são coisas que não podem ser geridas tendo em vista o lucro, mas sim servir as populações. Fábricas abandonadas, podiam ser compradas pelo Estado para gerar emprego, alimentos para os mais pobres e lucros, que seriam usados nas escolas, saúde, subsídios de desemprego, invalidez, doença, reformas, etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já respondi para você aqui (http://diariodeumexcomunista.blogspot.com.br/2013/10/diferencas-entre-empresas-publicas-e.html) mas vou complementar.

      Os serviços privados só são mal feitos quanto existe monopólio. Quando existe o risco da concorrência, os serviços são melhores. Logo, a solução para os serviços públicos é concedê-los à iniciativa privada com certas restrições, de forma que se aquele serviço não seja bem feito, outra empresa a substitua.

      O estado poderia intervir em casos específicos. Por exemplo, um bairro isolado que não vale financeiramente a pena investir em linhas de ônibus. Ou atendimento médico em populações ribeirinhas. Ou bolsas para alunos de baixa renda estudarem em escolas particulares.



      Excluir
  2. Só fiquei meio confuso com o caso da Argentina. Está lá: menos liberdade que o Brasil, porém maior IDH.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma boa constatação. Fui pesquisar e descobri que o IDH da Argentina é 0.81, enquanto o do Brasil é 0.73.

      IDH e IEF são índices diferentes, medidos através de metodologias diferentes. Existe uma correlação entre eles, mas não quer dizer que vá acontecer em 100% dos casos.

      Se você olhar de maneira geral, cartograficamente falando, vai notar que mesmo com alguns países saindo fora do padrão, existe uma forte correlação entre IDH e liberdade econômica.

      Excluir

Não seja um esquerdista chato, comente civilizadamente!

Mais dúvidas? Pergunte-me em: http://ask.fm/diariodeumexcomunista