sábado, 19 de outubro de 2013

Coitadinho do bandido!

A mentalidade esquerdista é incapaz de conceber a ideia de que pessoas são responsáveis pelos seus atos e que seres humanos são mais inteligentes que baratas. Para justificar o mau caratismo de bandidos-vagabundos e abrandar as suas ações, a esquerda bota a culpa no capitalismo. Muito fácil, não?

Você está com a sua família em casa, descansando tranquilamente. Repentinamente, homens armados invadem sua residência e levam seus bens, adquiridos com muito suor e esforço. Não contentes com o roubo, ainda assassinam seus pais e estupram a sua filha. Destroem quaisquer resquícios de felicidade.

Você clamará por justiça. Desejará que ao menos os infratores sejam presos e punidos pelas suas atrocidades. Entretanto, no outro dia estarão à solta nas ruas, matando, roubando e fazendo festas regradas
à drogas e produtos roubados. No saldo final, você estará no fundo do poço, e o bandido curtindo a vida adoidado. Conforme-se: isso é Brasil.

Nós somos vítimas do sistema! Podemos estuprar sua filha, matar seus pais e roubar seu carro. Nada vai acontecer com a gente! Lero lerooo

Não é para menos. Morre-se mais gente assassinada em terras tupiniquins do que em guerras e conflitos violentos ao redor do mundo: de acordo com a BBC Brasil, são 50 mil homicídios anuais. Valores superiores à Guerra no Iraque (13 mil anuais), Guerra na Chechênia (25 mil anuais) e Guerra Civil Angolana (20 mil anuais). Vivemos em guerra. Uma guerra invisível. Uma guerra que as autoridades tentam silenciar. Tráfico de drogas? PCC? Isso não existe né?

Ufa! Ainda bem que estamos aqui no Iraque. Poderíamos estar no Brasil...

A explicação para tal carnificina aparece como um passe de mágica à esquerda: pessoas de baixa renda, ao serem privadas de bens materiais, acabariam os desejando a todo custo, e isso causaria violência. Para o geógrafo marxista Milton Santos, a globalização e a tecnologia acirrariam as desigualdades sociais, intensificando a luta de classes - sim, o conceito de Marx, e acirrando tensões. Segundo Santos, o mundo seria dividido em duas porções distintas: "os que não comem, e os que têm medo dos que não comem". A frase até que é legal, bonitinha e filosófica, legal para se dizer em um boteco tomando cerveja, mas não é bem assim...

Se este argumento fosse correto, não haveria crime nas altas esferas da sociedade, além disso, todos os moradores de favela seriam violentos, o que constituem grandes equívocos. Esta visão estereotipada no universo esquerdista, ignora totalmente a natureza do ser humano ao atribuir ao capitalismo as causas da violência. Nessa visão encabrestada, o homem que estuprou a sua filha e assassinou seus pais seria violento não porque é mau caráter, mas sim porque é "excluído do sistema". É tudo culpa do capitalismo! Quem mandou você ter uma TV nova em casa? Seu burguês fascista!

Não há nada mais nojento do que retirar do homem as suas responsabilidades. Se uma pessoa comete um crime, deverá ser punida e ponto final.  Assassinos e estupradores não são marionetes à pilha, mas sim têm consciência de seus atos. São pessoas evidentemente más, mas com cérebro. O capitalismo não forma bandidos. Bandidos já são bandidos.

Fontes:
Milton Santos: Por uma outra Globalização
Comentários
8 Comentários

8 comentários :

  1. Ótimo Post

    Esse paradigma do bandido como vítima da sociedade esta enraizado no pensamento de muitos

    Outra rotina associada é fingir que a punição aos criminosos tem como único objetivo a reabilitação desses indivíduos

    Na verdade a prioridade é garantir a segurança das pessoas de bem ao retirar da sociedade indivíduos que não estão aptos a viverem nela para somente em um segundo momento buscar a reabilitação

    Esse argumento pode ser usado na luta pela redução da maioridade penal



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro desta discussão da maioridade penal há alguns meses. Até hoje ninguém resolveu nada, e não vai resolver! Sou muito pessimista em relação à isso.

      A cadeia hoje é uma escolinha de bandido, paga com nossos impostos. Sou a favor de privatizar o sistema penitenciário. Nas cadeias privadas, o custo é menor e o índice de reincidência é menor.

      Ao mesmo tempo que temos uma das maiores populações carcerárias do mundo, temos um dos maiores déficits de vagas. É muito bandido pra pouca cadeia!

      Excluir
  2. Segundo um cafetão argentino (que também é jurista) chamado Zaffaroni, existe a "co-culpabilidade" entre o criminoso excluído e a sociedade, e o juiz, ao condenar o coitadinho, deve debitar uma parcela do crime à sociedade, e com isso, amenizar a pena do delinquente-coitado .
    Isso não é piada nem ironia, é uma teoria jurídica que é cobradíssima em concurso público e em pós-graduação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia disso, obrigado! Vou pesquisar depois.

      O maior problema desta discussão é que quando uma pessoa está passando fome, ou quase morrendo, ela acaba cometendo pequenos furtos para sobreviver. Existem casos de mães que roubam leite para dar aos filhos. Esses casos devem ser analisados à parte: prender não vai resolver. O juiz deve se ater à isso. Mas é a minoria.

      Um cara que rouba meu celular não é "oprimido, vítima do sistema", é um filha da puta. Ladrões são filhas da puta. Assassinos são filhas da puta. Estupradores são filhas da puta.

      Excluir
  3. Não se iluda, esquerdista só defende bandido em sociedades democráticas, onde eles não tomaram o poder via ditadura. O objetivo é esfacelar os alicerces da sociedade democrática, sob a capa do humanismo.
    Nos regimes comunistas de verdade (ditaduras como Cuba, Coréia, etc) bandidos são considerados afronta ao poder, e são sumariamente fuzilados. Na China, a família ainda paga as balas gastas na execução.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa observação!! A esquerda não faz isso somente com bandidos. Mas também com mulheres, homossexuais, negros, muçulmanos e todo o tipo de minoria que possa ser cooptada para a "causa revolucionária".

      Na URSS a coisa mais comum do mundo era mandar homossexuais para campos de trabalho forçado. Em Cuba também. Para esquerdistas, mulheres sempre foram vistas como inferiores. Mas hoje todos esses grupos endossam a causa revolucionária. Quando não forem mais necessários, voltarão a ser discriminados pela esquerda.

      Excluir
  4. Vítima do sistema é o caralho. Vítima do sistema é quem tem que acordar às 5:30 pra se foder em transporte público lotado, pra virar laje o dia inteiro, e receber um salário de merda. Bandido é pilantra safado!!!! bandido tem mais é que morrer!!!! Peguem todos os bandidos, e mandem para o Oriente Médio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso! Como diz a Rachel, adote um bandido!

      A maioria dos favelados são honestos. Esses caras que acordam as 5:30 pra trabalhar VIVEM NO MESMO CONTEXTO SOCIAL destes que vão pra bandidagem. Aí depois a esquerda caviar vem com esse discursinho de sistema e bla bla bla...

      Como diz o Bolsonaro, eu nunca vi reincidência em bandido morto.

      Excluir

Não seja um esquerdista chato, comente civilizadamente!

Mais dúvidas? Pergunte-me em: http://ask.fm/diariodeumexcomunista